fbpx

Quais escritores foram influenciados pela literatura de Flaubert?

Não é a primeira vez que escrevo por aqui sobre a literatura francesa, mas a sua importância é tão grandiosa para o mundo que o assunto nunca acaba. São muitos artistas que deram vida e voz para todas as fases da escrita na França, mas hoje, cito Gustave Flaubert, precursor do nouveau roman e destaque do Realismo francês. Mesmo guardando um pouco do lirismo do Romantismo, o autor de Madame Bovary e a Educação Sentimental entre outras preciosidades, foi influenciado pelo estilo livre de escritores como Rabelais e Molière, além da imprensa escrita a qual criticava bastante.

 

Flaubert, valorizou e revelou a importância de elementos como a pesquisa e a documentação, a descrição detalhada de cada respiro em uma página, a recusa das facilidades romanescas e introduziu a ironia na narrativa. Grande prosador, se aprofundou nas análises psicológicas, senso de realidade e lucidez sobre o comportamento da sociedade. O importante escritor francês do século XIX, nasceu na cidade de Ruen em 1821 e faleceu em Croisset em 1880. Após a morte, a fama e a reputação cresceram através de suas obras até então aclamadas e outras inacabadas como Bouvard e Pécuchet.

E você sabe quais escritores seguiram a linha de escrita de Flaubert e foram influenciados por suas obras? Vou te contar, mas não se esqueça de escrever nos comentários quais livros desses escritores já leu e recomenda aqui no Blog.


Eça de Queirós: com o estilo sóbrio, claro e simples, o português era um crítico da sociedade burguesa assim como Flaubert, deixando isso claro em O Crime do Padre Amaro ou falando sobre a decadência das famílias tradicionais em Os Maias. Em O Primo Basílio deixa claro a semelhança com o escritor francês ao escrever sobre adultério.


Vladimir Nakobov: o romancista era um admirador de Madame Bovary e trabalhou a obra com os seus alunos da Universidade de Wellesley e Cornell (EUA). O autor de Lolita admirava o detalhismo de Flaubert e a maneira como desenrolava assuntos polêmicos sobre a burguesia, mas sem perder a poesia.


Ernest Hemingway: muitos críticos dizem que a forma como Flaubert descrevia a violência urbana em Educação Sentimental, influenciou o modo como o norte-americano Hemingway, descrevia sobre a guerra. Adorava a disciplina do mestre francês e durante o seu começo de carreira, escrevia seguindo os padrões de Flaubert, claro e direto. Assim construiu meticulosamente Por quem os sinos dobram.


Interessante, não é? Não se esqueça do desafio dado no começo do texto!


Au revoir!


Elisa

Gostou?
Divida isso com o mundo!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on google
Share on telegram

Todos os direitos reservados em 2019 para Avec Elisa.

CNPJ: 35.011.297/0001-75 | AVEC ELISA CURSO DE IDIOMAS | R: MEDEIROS DE ALBUQUERQUE, 55
Email: elisa@avecelisa.com.br

Domine os sons do francês!

Preencha os campos abaixo para receber uma aula exclusiva!